Open Science Research Excellence

Open Science Index

Commenced in January 2007 Frequency: Monthly Edition: International Publications Count: 29381


Select areas to restrict search in scientific publication database:
10006108
Relevant Stakeholders in Environmental Management Organization: The Case of Industries Três Rios/RJ
Abstract:
The intense process of economic acceleration, expansion of industrial activities and capitalism, combined with population growth, while promoting the development, bring environmental consequences and dynamics of locations. It can be seen that society is seeking to break with old paradigms of capitalist society, seeking to reconcile growth with sustainable development, with a change of mentality of the stakeholders of the production process (shareholders, employees, suppliers, customers, governments, and neighbors, groups citizens and the public in general). In this context, this research aims to map the stakeholders interested in environmental management in industries located in the city of Três Rios/RJ. The city of Três Rios is located in South-Central region of the state of Rio de Janeiro - Brazil. Methodological resources used refer to descriptive and field research, whose nature is qualitative and quantitative. It is also of multicases studies in the study area, and the data collection occurred by means of semi-structured questionnaires and interviews with employees related to the environmental area of the industries located in Três Rios and registered at the Federation of Industries the State of Rio de Janeiro - FIRJAN in the version of 2013 and active in federal revenue. Through this research it observed, among other things, the stakeholders involved in the environmental management process of “Três Rios” industry respondents, and those responding to the demands of environmental management.
Digital Object Identifier (DOI):

References:

[1] Sousa, A. C. A. A evolução da política ambiental no Brasil do século XX. Achegas.net, Rio de janeiro, v. I, p. 26, 2005.
[2] Marshall JR., I. Certificação Ambiental em Empresas Industriais: O caso Bayer e os reflexos na conscientização de seus funcionários e famílias. Revista de Administração Pública, v.35, nº. 3, mai/jun, p.77-106, Rio de Janeiro, FGV:2001, p. 78.
[3] Vergara, S. C. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2006.
[4] Andrade, M. M. Introdução à metodologia do trabalho científico: elaboração de trabalhos na graduação. 9. ed. São Paulo: Atlas, 2009.
[5] Prefeitura Municipal de Três Rios. Disponível em: http://www.tresrios.rj.gov.br/. Acesso em: 10/03/2015.
[6] Bursztyn, M.; Persegona, M. Cronologia. A grande transformação ambiental: uma cronologia da dialética homem-natureza. Rio de Janeiro: Garamond, 2008.
[7] Veiga, J. E. Desenvolvimento Sustentável: o desafio do século XXI. Rio de Janeiro: Garamond, 2010.
[8] Silva, C. L..; Carvalho, V. A Responsabilidade Social no Ensino Superior: da origem ao cotidiano educacional. 2008.
[9] Martínez Alier, J. O ecologismo dos pobres: conflitos ambientais e linguagem de valoração. São Paulo: Contexto, 2007.
[10] Sachs, I. Rumo à ecossocioeconomia – Teoria e prática do desenvolvimento. São Paulo: Cortez, 2007.
[11] Leff, E. Racionalidade Ambiental: a reapropriação social da natureza. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006.
[12] Carneiro, E. J. Política Ambiental e a ideologia do desenvolvimento sustentável. In: Zhouri, A.; Klemens, L.; Pereira, D. B. (org.). A insustentável leveza da política ambiental: desenvolvimento e conflitos socioambientais. Belo Horizonte: Autêntica, 2005.
[13] Gilbert, A. Third world: poverty, employment and gender roles during a time of restructuring. In: D’avila, M. I. (coord.) UNESCO Chair on Sustainable Development. Social development: challengesandstrategies. Rio de Janeiro: UFRJ/UNESCO, 1995.
[14] Little, P. E. Políticas ambientais no Brasil: análises, instrumentos e experiências. São Paulo: Peirópolis; DF: IIEB, 2003.
[15] Acselrad, H.; Leroy, J. Novas premissas da sustentabilidade democrática. Rio de Janeiro: FASE, 1999.
[16] Kronemberg, D. Desenvolvimento local e sustentável: uma abordagem prática. São Paulo: Senac, 2001.
[17] Furtado, C. Formação econômica do Brasil. 32. Ed. São Paulo: Nacional, 2005.
[18] Pádua, J. A. Um sopro de destruição - Pensamento político e crítica ambiental no Brasil escravista, 1786-1888, Rio de Janeiro: Zahar, 2002.
[19] Schwartz, S. B. A historiografia dos primeiros tempos do Brasil moderno. Tendências e Desafios das Duas Últimas Décadas. UFPR, 2009.
[20] Jacobi, P. Movimento ambientalista no Brasil. Representação social e complexidade da articulação de práticas coletivas. In: Ribeiro, W. (org.) Publicado em Patrimônio Ambiental – EDUSP – 2003.
[21] Sanches, C. S. Gestão Ambiental Proativa. Revista de Administração de Empresas, V.40, nº.1, p.76-87, an-mar/ 2000.
[22] Schmidheiny, S. Mudando o Rumo: uma perspectiva empresarial global sobre o desenvolvimento e meio ambiente. Rio de Janeiro: FGV, 1992, p. 113.
[23] Capra, F.; Callenbach, E.; Goldman, L.; Rudiger, L.; Marburg, S. Gerenciamento ecológico: EcoManagement. São Paulo: Ed Cultrix, 1993, p. 27.
[24] Oliveira, J. A. P. Os desafios da descentralização da implementação das políticas ambientais em países em desenvolvimento: o caso Brasil. CLAD, Buenos Aires, Argentina, 2000.
[25] Freeman, R. E. (1984). Strategic management: a stakeholder approach. Massachusetts: Pitman.
[26] Muto, C. A. Exame PMI: a bíblia. Rio de Janeiro: Brasport, 2006.
[27] Orth, A. I. Planejamento e gerência de projetos. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2009.
[28] Savage, G. T., Nix, T. W., Whitehead, C. J., & Blair, J. D. (1991). Strategies for assessing and managing organizational stakeholders. Academy of Management Executive,5(2), 61-75.
[29] Tapscott, D., & Ticoll, D. (2005). A empresa transparente. São Paulo: M. Books do Brasil.
[30] Noro, G. B. A gestão de stakeholders em gestão de projetos. Revista de Gestão e Projetos. - GeP, São Paulo, v. 3, n. 1, p 127-158, jan./abr. 2012.
Vol:13 No:03 2019Vol:13 No:02 2019Vol:13 No:01 2019
Vol:12 No:12 2018Vol:12 No:11 2018Vol:12 No:10 2018Vol:12 No:09 2018Vol:12 No:08 2018Vol:12 No:07 2018Vol:12 No:06 2018Vol:12 No:05 2018Vol:12 No:04 2018Vol:12 No:03 2018Vol:12 No:02 2018Vol:12 No:01 2018
Vol:11 No:12 2017Vol:11 No:11 2017Vol:11 No:10 2017Vol:11 No:09 2017Vol:11 No:08 2017Vol:11 No:07 2017Vol:11 No:06 2017Vol:11 No:05 2017Vol:11 No:04 2017Vol:11 No:03 2017Vol:11 No:02 2017Vol:11 No:01 2017
Vol:10 No:12 2016Vol:10 No:11 2016Vol:10 No:10 2016Vol:10 No:09 2016Vol:10 No:08 2016Vol:10 No:07 2016Vol:10 No:06 2016Vol:10 No:05 2016Vol:10 No:04 2016Vol:10 No:03 2016Vol:10 No:02 2016Vol:10 No:01 2016
Vol:9 No:12 2015Vol:9 No:11 2015Vol:9 No:10 2015Vol:9 No:09 2015Vol:9 No:08 2015Vol:9 No:07 2015Vol:9 No:06 2015Vol:9 No:05 2015Vol:9 No:04 2015Vol:9 No:03 2015Vol:9 No:02 2015Vol:9 No:01 2015
Vol:8 No:12 2014Vol:8 No:11 2014Vol:8 No:10 2014Vol:8 No:09 2014Vol:8 No:08 2014Vol:8 No:07 2014Vol:8 No:06 2014Vol:8 No:05 2014Vol:8 No:04 2014Vol:8 No:03 2014Vol:8 No:02 2014Vol:8 No:01 2014
Vol:7 No:12 2013Vol:7 No:11 2013Vol:7 No:10 2013Vol:7 No:09 2013Vol:7 No:08 2013Vol:7 No:07 2013Vol:7 No:06 2013Vol:7 No:05 2013Vol:7 No:04 2013Vol:7 No:03 2013Vol:7 No:02 2013Vol:7 No:01 2013
Vol:6 No:12 2012Vol:6 No:11 2012Vol:6 No:10 2012Vol:6 No:09 2012Vol:6 No:08 2012Vol:6 No:07 2012Vol:6 No:06 2012Vol:6 No:05 2012Vol:6 No:04 2012Vol:6 No:03 2012Vol:6 No:02 2012Vol:6 No:01 2012
Vol:5 No:12 2011Vol:5 No:11 2011Vol:5 No:10 2011Vol:5 No:09 2011Vol:5 No:08 2011Vol:5 No:07 2011Vol:5 No:06 2011Vol:5 No:05 2011Vol:5 No:04 2011Vol:5 No:03 2011Vol:5 No:02 2011Vol:5 No:01 2011
Vol:4 No:12 2010Vol:4 No:11 2010Vol:4 No:10 2010Vol:4 No:09 2010Vol:4 No:08 2010Vol:4 No:07 2010Vol:4 No:06 2010Vol:4 No:05 2010Vol:4 No:04 2010Vol:4 No:03 2010Vol:4 No:02 2010Vol:4 No:01 2010
Vol:3 No:12 2009Vol:3 No:11 2009Vol:3 No:10 2009Vol:3 No:09 2009Vol:3 No:08 2009Vol:3 No:07 2009Vol:3 No:06 2009Vol:3 No:05 2009Vol:3 No:04 2009Vol:3 No:03 2009Vol:3 No:02 2009Vol:3 No:01 2009
Vol:2 No:12 2008Vol:2 No:11 2008Vol:2 No:10 2008Vol:2 No:09 2008Vol:2 No:08 2008Vol:2 No:07 2008Vol:2 No:06 2008Vol:2 No:05 2008Vol:2 No:04 2008Vol:2 No:03 2008Vol:2 No:02 2008Vol:2 No:01 2008
Vol:1 No:12 2007Vol:1 No:11 2007Vol:1 No:10 2007Vol:1 No:09 2007Vol:1 No:08 2007Vol:1 No:07 2007Vol:1 No:06 2007Vol:1 No:05 2007Vol:1 No:04 2007Vol:1 No:03 2007Vol:1 No:02 2007Vol:1 No:01 2007