Excellence in Research and Innovation for Humanity

International Science Index


Select areas to restrict search in scientific publication database:
10005879
Quality of Life of the Beneficiaries of the Government’s Bolsa Família Program: A Case Study in Mateiros/TO/Brazil
Abstract:
The quality of life index, despite elucidating many discussions, the conceptual subjectivity of the term does not show precision, and consequently, many researchers seek to develop methods aiming to measure this concept, bringing it to a more concrete approach. In this study, the quality of life index method was used to analyze the population of Mateiros, Tocantins, Brazil for quality of life. After data collection, it was compared the quality of life index between the population and the group of beneficiaries of the Brazilian government assistance program Bolsa Família (Family Allowance). Some of the people interviewed receive financial aid from the federal government program Bolsa Família (22%). Comparisons were made among the final score of the quality of life index of the Mateiros population and the following factors: Gender, age, education, those working or not with tourism and those who receive or do not receive the Bolsa Família. It was observed that only the factor, Bolsa Família (p-score 0.0138), shows an association with quality of life improvement, noticing that those who have financial aid had a higher quality of life improvement than the rest of the population. It was concluded that, government assistance has shown a decisive element on the enhancement of Mateiros population quality of life, indicating that similar actions should be maintained.

References:

[1] A.R. Aquino; J.R, Almeida; M.L.G.S Senna, V.C. Dutra. Indicadores de desenvolvimento sustentável: uma visão acadêmica. 1. Ed. Rio de Janeiro: Rede Sirius; OUERJ, 2014.
[2] I.A. Soares; C.S.C. Medeiros; A. Sales-Filho. Análise de paisagens turísticas na praia de Jenipabu (CE) com a utilização de indicadores de qualidade visual: uma contribuição para o turismo sustentável. Caminhos da Geografia. Uberlândia. v.14, n.15, mar/2013.
[3] I.B. Schimidt. Etnobotânica e Ecologia populacional de Syngonanthus nitens: sempre viva utilizada para artesanato no Jalapão, Tocantins. Dissertação de mestrado em Ecologia da Universidade de Brasília. Brasília: 2005.
[4] D.G. Pearce. Geografia do turismo: fluxos e regiões no mercado de viagens. São Paulo: Aleph, 2003.
[5] Seplan, Secretaria do Planejamento e Meio Ambiente. Plano de Manejo do Parque Estadual do Jalapão, 2003. In: < https://documentacao.socioambiental.org/ato_normativo/UC/2111_20160311_174830.pdf >. Acessed in: October 03, 2016.
[6] E.G. Santos, EG, F.N. Armond, I.H. Nunes, M.L.G.S Senna, P.B. Morais, T. Parente, W. Rodrigues. Sustentabilidade e desenvolvimento local: A comunidade de Mumbuca e o Turismo na região do Jalapão. OLAM (Rio Claro), v. 7, p. 242-261, 2007.
[7] V. Dutra, A. Colares, L.F.M. Adorno, K. Magalhães, K, GOMESProposta de estrada-parque com unidade de conservação: dilemas e diálogos entre o Jalapão e Chapada dos Veadeiros. Sociedade & Natureza. Uberlândia, 20 (1) 161-176, jun.
[8] M.N. Ferreira, E.S. Reis, L.F.M. Adorno Caracterização dos impactos do uso público no Parque Estadual do Jalapão. In: V Congresso Brasileiro de Unidades de Conservação, 2007, Foz do Iguaçu. Anais do V Congresso Brasileiro de Conservação. Curitiba: Fundação O Boticário, 2007.
[9] K. Marzall, J. Almeida. O Estado da Arte sobre indicadores de sustentabilidade para agroecossistemas. In: Seminário Internacional sobre Potencialidade e Limites do Desenvolvimento Sustentável. Santa Maria, RS: Universidade Federal de Santa Maria, 1999.
[10] M. Baquero. Avaliando o potencial de fatores culturais na construção da democracia na América Latina: uma comparação entre 2005 e 2010. Revistas Debates. Porto Alegre, v. 6, n.1, p.9-13, jan-abr 2012.
[11] E.S. Lima. Impactos Socioeconômico Estuário Jaguaribe. Universidade Federal do Ceará. Centro de Ciências Agrárias. Departamento de Economia Agrícola. Projeto de Dissertação. Fortaleza: 2003.
[12] F.S.S. Monte, J.N. Reis, L.A.M. Paula, J.L. Castro Júnior. Qualidade de vida em reassentamentos de populações rurais atingidas por obras de infra-estrutura: o caso do complexo industrial e portuário do Pecém - Ceará. In: XXXVII Congresso Brasileiro de Economia e Sociologia Rural, 1999, Foz do Iguaçu. O agronegócio do Mercosul e a sua inserção na economia mundial. Brasília: SOBER, 1999.
[13] Pnud. Evolução do IDH-M – municípios com menos de 50 mil habitantes. Atlas Ipea, 2006.
[14] M.B. Lima, E.L. Ribeiro. Diretrizes urbanísticas e construtivas para cidades de clima semiárido. PARC: Pesquisa em Arquitetura e Construção, v.1, p. 1-22, 2009.
[15] K.A. Magalhães, R.M.M. Cotta, T.C.P. Martins, A.P. Gomes, R. Siqueira-Batista. A habitação como determinante social da saúde: percepções e condições de vida de famílias cadastradas no Programa Bolsa Família. Revista Saúde e Sociedade. São Paulo, v.22, n.1, p. 57-72, 2013.
[16] C.S. Andrade, A.P. Silva, A.P. Silva, R. Pinto. Qualidade ambiental e saúde da população em Canavieiras - Bahia: Aspectos epidemiológicos de saneamento básico e prevalência de Parasitoses numa reserva extrativista. Revista Baiana de Saúde Pública. v.37, n. 2, p. 335-349, abr.-jun.2013
[17] L.L. Giatti, S.A. Cutolo. Acesso à água para consumo humano e aspectos de saúde pública na Amazônia Legal. Revista Ambiente e Sociedade. São Paulo, v. XV, n.1, pag. 93-109, jan.-abr. 2012.
[18] M.F. Westphal. O Programa de Saúde da Família: um compromisso com a qualidade de vida. SANARE – Revista de Políticas Públicas. ANO IV, N.1, JAN./FEV./MAR. 2003.
[19] V.R.S. Matias, R.E.S. Matos. A geografia das tecnologias da informação e comunicação no Brasil contemporâneo. Caminhos da Geografia. Uberlândia. v.14; n.48, p.01-13, dez-2013.
[20] E.A.P.C. Silva, P.P.C. Silva, A.R.M. Santos, H.G.O. Cartaxo, S. Rechia, C.M.S.M. Freitas. Espaços públicos de lazer na promoção da qualidade de vida: uma revisão integrativa. Licere, Belo Horizonte, v.16, n.2, jun/2013.
[21] R.A. Souza, A.M. Carvalho. Programa de Saúde da Família e qualidade de vida: um olhar da psicologia. Estudos de Psicologia, v.8, n.3, pág. 515- 23, 2003.
Vol:11 No:04 2017Vol:11 No:03 2017Vol:11 No:02 2017Vol:11 No:01 2017
Vol:10 No:12 2016Vol:10 No:11 2016Vol:10 No:10 2016Vol:10 No:09 2016Vol:10 No:08 2016Vol:10 No:07 2016Vol:10 No:06 2016Vol:10 No:05 2016Vol:10 No:04 2016Vol:10 No:03 2016Vol:10 No:02 2016Vol:10 No:01 2016
Vol:9 No:12 2015Vol:9 No:11 2015Vol:9 No:10 2015Vol:9 No:09 2015Vol:9 No:08 2015Vol:9 No:07 2015Vol:9 No:06 2015Vol:9 No:05 2015Vol:9 No:04 2015Vol:9 No:03 2015Vol:9 No:02 2015Vol:9 No:01 2015
Vol:8 No:12 2014Vol:8 No:11 2014Vol:8 No:10 2014Vol:8 No:09 2014Vol:8 No:08 2014Vol:8 No:07 2014Vol:8 No:06 2014Vol:8 No:05 2014Vol:8 No:04 2014Vol:8 No:03 2014Vol:8 No:02 2014Vol:8 No:01 2014
Vol:7 No:12 2013Vol:7 No:11 2013Vol:7 No:10 2013Vol:7 No:09 2013Vol:7 No:08 2013Vol:7 No:07 2013Vol:7 No:06 2013Vol:7 No:05 2013Vol:7 No:04 2013Vol:7 No:03 2013Vol:7 No:02 2013Vol:7 No:01 2013
Vol:6 No:12 2012Vol:6 No:11 2012Vol:6 No:10 2012Vol:6 No:09 2012Vol:6 No:08 2012Vol:6 No:07 2012Vol:6 No:06 2012Vol:6 No:05 2012Vol:6 No:04 2012Vol:6 No:03 2012Vol:6 No:02 2012Vol:6 No:01 2012
Vol:5 No:12 2011Vol:5 No:11 2011Vol:5 No:10 2011Vol:5 No:09 2011Vol:5 No:08 2011Vol:5 No:07 2011Vol:5 No:06 2011Vol:5 No:05 2011Vol:5 No:04 2011Vol:5 No:03 2011Vol:5 No:02 2011Vol:5 No:01 2011
Vol:4 No:12 2010Vol:4 No:11 2010Vol:4 No:10 2010Vol:4 No:09 2010Vol:4 No:08 2010Vol:4 No:07 2010Vol:4 No:06 2010Vol:4 No:05 2010Vol:4 No:04 2010Vol:4 No:03 2010Vol:4 No:02 2010Vol:4 No:01 2010
Vol:3 No:12 2009Vol:3 No:11 2009Vol:3 No:10 2009Vol:3 No:09 2009Vol:3 No:08 2009Vol:3 No:07 2009Vol:3 No:06 2009Vol:3 No:05 2009Vol:3 No:04 2009Vol:3 No:03 2009Vol:3 No:02 2009Vol:3 No:01 2009
Vol:2 No:12 2008Vol:2 No:11 2008Vol:2 No:10 2008Vol:2 No:09 2008Vol:2 No:08 2008Vol:2 No:07 2008Vol:2 No:06 2008Vol:2 No:05 2008Vol:2 No:04 2008Vol:2 No:03 2008Vol:2 No:02 2008Vol:2 No:01 2008
Vol:1 No:12 2007Vol:1 No:11 2007Vol:1 No:10 2007Vol:1 No:09 2007Vol:1 No:08 2007Vol:1 No:07 2007Vol:1 No:06 2007Vol:1 No:05 2007Vol:1 No:04 2007Vol:1 No:03 2007Vol:1 No:02 2007Vol:1 No:01 2007